Vinho Rosé: conheça sua história e características!

O vinho Rosé possui a coloração rosada e sua intensidade varia conforme as uvas e os métodos de produção utilizados em sua fabricação.

A maioria desses vinhos possuem coloração rosa translúcido até um avermelhado levemente pálido. Além disso, eles são vinhos delicados e versáteis para a maioria dos paladares.

Por estar em constante crescimento no mundo todo, foi criado um dia especial para o vinho e bebidas estilo Rosé, que é o Dia Internacional do Rosé celebrado toda quarta sexta-feira de junho.

Antes de entender as principais características do vinho Rosé, você precisa conhecer sua história e origens, para que aprecie com moderação cada dose dessa bebida tão fantástica.

História do vinho Rosé

O vinho Rosé começou a ser fabricado antes de Cristo pelos gregos no sul da França. As bebidas eram clássicas e caracterizadas pela cor pálida e quase transparente, já que o líquido era mantido pouco tempo em contato com as cascas das uvas e em alguns casos, água era adicionada à bebida.

Com o passar dos anos, muitas regiões passaram a produzir vinhos e curiosamente a cultura de tomar vinho tinto era comum pelos pobres, enquanto que os vinhos brancos e rosés eram apreciados pela aristocracia e pela igreja.

Na Grécia Antiga, era comum diluir o vinho com água, pois acreditavam que apenas os bárbaros e assassinos consumiam o vinho puro.

A receita do vinho foi modificada diversas vezes, e hoje em dia, o vinho Rosé é sinônimo de glamour, prazer e verão.

Qual a diferença do vinho tinto e Rosé?

Existem muitos tipos de vinhos e a maioria das pessoas não sabem suas principais diferenças, além é claro da coloração.

O vinho Rosé é um meio-termo entre o tinto e o branco, e por esse motivo possui a coloração rosa translúcida ou um leve tom de vermelho pálido.

As uvas usadas na produção desse tipo de vinho são as mesmas dos vinhos tintos, porém a bebida é separada das cascas das frutas após pouco tempo de contato conferindo a tonalidade delicada e discreta.

O sabor da bebida também pode variar indo do doce ao seco, além é claro de conter uma variedade enorme de aromas.

Já os vinhos tintos são feitos especificamente com uvas tintas e sua coloração é forte e muito intensa.

O longo contato da bebida com as cascas e sementes das uvas, faz com que o vinho tinto tenha uma coloração escura e característica.

Em relação à saúde, o vinho tinto é o mais rico em antioxidantes associados à prevenção de doenças cardíacas, derrames e câncer. Dessa forma, deve ser consumido como forma de medicamento, com moderação.

vinho-rose
Imagem: Freepik

O que é um vinho Rosé?

Como mencionamos, o vinho Rosé é intermediário entre o vinho tinto e branco, sendo assim, muitas pessoas o veem como o “vinho da moda”, pois combina muito bem com os dias quentes do Brasil.

Os vinhos Rosés são os menos consumidos pelas pessoas e muitas vezes pela falta de conhecimento da bebida.

Apesar disso, alguns países dão uma enorme importância para essa bebida como é o caso da França, na região de Provence, que é famosa pela sua alta produção de vinho Rosé, sendo considerada a maior produtora do mundo.

Qual o gosto do vinho Rosé?

Como mencionamos, existem muitos aromas e sabores de vinhos do tipo Rosé. Essa variação no sabor pode ser consequência do tipo de uva usada ou da fabricação da bebida propriamente dita.

Dentre os principais sabores e tipos de vinhos Rosés existentes podemos citar os mais comuns:

O vinho Rosé seco é feito principalmente com uvas Tempranillo, Syrah, Cabernet Sauvignon e Tavel. Eles podem ter coloração extremamente clara ou um pouco mais intensa, porém sempre translúcida.

A maioria dos vinhos rosés secos possuem toques de sabor em melancia, morango, flores, pimenta, cereja e azeitonas.

Já o vinho Rosé frutado pode ser feito de uvas como Sangiovese, Grenache e Pinot Noir. Sua coloração é um pouco mais intensa e o sabor pode conter notas de morango fresco, laranja, pêssego, rosas e pimenta.

Os vinhos feitos com as uvas Pinot Noir podem ter uma acidez maior e aromas diferenciados como a melancia e a framboesa.

Por último, porém não menos importante, o vinho Rosé doce está relacionado com as uvas Zinfandel Rosé e essa é a bebida mais comum entre os apreciadores de vinhos. Os sabores mais comuns são o morango, o limão, o melão e o algodão doce.

Vale lembrar ainda que, a acidez do vinho Rosé doce é alta e por esse motivo é aconselhável servi-lo em temperatura bastante fria.

vinho-rose
Imagem: Freepik

Como se deve tomar o vinho Rosé?

Depois de aprender sobre a história do vinho Rosé e suas principais características, você precisa compreender como tomar uma boa taça dessa bebida.

Veja a seguir as principais combinações para apreciar uma boa taça de vinho Rosé em suas refeições e momentos especiais:

  • Saladas e frutos do mar: o vinho Rosé é super fresco e delicado e por esse motivo combina perfeitamente com saladas e frutos do mar. Para que sua experiencia seja ainda melhor, opte pelos vinhos rosés do tipo secos.
  • Aves e peixes: a carne de aves e peixes temperada com ervas finas combina muito bem com o vinho Rosé. Para que a harmonização seja perfeita, você deve optar por vinhos com corpo leve a médio, feitos com uvas que tenham aromas herbáceos para combinar com os temperos.
  • Massas e carnes: para harmonizar uma boa massa ou carne vermelha, invista em molhos à base de manteiga.
  • Sobremesas: já em relação às sobremesas, os vinhos rosés combinam perfeitamente com receitas que levam frutas ou bases de creme. Além disso, você deve lembrar que, os sabores e aromas do vinho devem ser tão doce ou mais doce que as receitas.

Apesar de parecer ser completamente diferente dos vinhos tintos, os vinhos rosés são perfeitos para quem quer variar de forma mais discreta, pois eles apresentam muitas características em comum com os tintos.

Lembre-se ainda de que é importante servir a bebida em temperaturas mais baixas, pois somente dessa forma, o frescor da bebida será mantido e apreciado com perfeição.

Uma das principais vantagens de saber harmonizar os sabores e aromas do vinho Rosé com os pratos, é o fato dele ser leve, e assim não se sobrepor ao sabor das comidas.

Deixe um comentário